É possível fazer duas faculdades ao mesmo tempo?

O ingresso no ensino superior pode assustar algumas pessoas. Geralmente nesse grupo se encontram os alunos que acabaram de sair do ensino médio e nem mesmo sabem se escolheram o curso das suas vidas. Por outro lado, outras pessoas – quer seja por experiência ou por necessidade – não só já estavam empolgadas com essa nova etapa, como gostariam de intensifica-la tirando o maior proveito possível, frequentando duas faculdades ao mesmo tempo.

Houve uma época que aqui no Brasil, quando se trata de instituições públicas, isso era permitido. Parece impossível hoje, mas é possível que alguns anos atrás essas ciências não estavam tão avançadas – diferente de hoje em que a carga de conteúdo é considerada extrema, mesmo pelos próprios graduandos. Todavia a partir da Lei 12.089/2009, essa prática se tornou proibida. Essa proibição se estende também em universidades particulares caso o estudante está no curso por meio do Programa Universidade para Todos (Prouni).

Hoje uma estratégia que muito se adota é realizar um curso na instituição pública e outro na faculdade particular. Ou ambos os cursos no instituo particular, caso você não precise trabalhar. Basta haver um correto encaixe dos horários e uma disciplina invejável. A afinidade entre os cursos também conta. Cursos como Educação Física e Nutrição “podem casar” tranquilamente.

O que é o duplo diploma?

No exterior muitas universidades oferecem o duplo diploma. É muito conhecido entre os estudantes de Engenharia, já que esse curso, apesar de sofrer uma grande subdivisão, tem o mesmo conteúdo nos primeiros anos. Assim, um aluno que se matricula em Engenharia Metalúrgica, por exemplo, tem permissão de realizar também o curso de Engenharia Elétrica e ao fim de ambos os cursos conquista um diploma diferenciado que o permite exercer as duas profissões. No Brasil, essa dupla diplomação começou em 2004 e hoje é uma estratégia muito utilizada para a garantia de um bom posicionamento e competição no mercado de trabalho.

Outra forma de estudar no exterior e fazer as duas faculdades é o aluno se matricular em uma universidade brasileira afiliada a uma estrangeira. O aluno começa o curso na instituição estrangeira e depois volta para a de origem para finalizar seu segundo curso. A qualidade do ensino é garantida geralmente pelo convênio dessa universidade. Inclusive esse convênio é comum nas instituições públicas.

Prós e contras

A maior vantagem evidentemente é a qualificação profissional. O profissional, sem dúvidas, poderá ganhar destaque com o título e estar – dependendo do seu ponto de vista – já se especializando, realizando um upgrade na sua área de conhecimento.

Entretanto você deve considerar o próprio esforço mental de estudar o conteúdo em dobro – além da realização das provas e trabalhos – bem como sua energia caso você realize estágios em ambos os cursos. Além desses contras, a rotina poderá, no geral, ser mais estressante uma vez que você terá grande chance de abrir mão de lazeres, de passeios, de um relacionamento amoroso tranquilo, etc. É algo subjetivo, dependerá dos seus objetivos com a profissão.

Posted in Educação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*