Compartilhando tarefas domésticas melhora relacionamento

Uma nova pesquisa do Canadá pode inspirar os homens a aspirar a sala com mais frequência.

Os casais heterossexuais tendem a ter mais satisfação sexual e desejo quando os homens realizam seu trabalho doméstico, relataram cientistas da Universidade de Alberta.

Um estudo anterior mostrou que os casais tinham menos sexo quando os homens faziam trabalho doméstico “feminino”. Mas os pesquisadores de Alberta não tinham tanta certeza.

Usando dados de 1.338 casais alemães, a equipe de pesquisa procurou por ligações entre as contribuições domésticas dos homens e a satisfação sexual.

Eles não encontraram nenhuma associação lá, mas descobriram que quando os homens percebiam sua contribuição como justa, os casais faziam sexo com mais frequência, isso funcionava como um estimulante para mulher. Ambos os parceiros também tiveram mais satisfação sexual nesse caso.

“Em qualquer relacionamento, a quantidade de trabalho doméstico vai significar algo diferente com base no contexto do casal, com base em suas próprias expectativas sobre o que cada parceiro deve fazer e seus níveis de comparação do que acontece com outros casais que conhecem”, disse autor Matt Johnson em entrevista ao departamento de notícias da Universidade de Alberta.

“Ao invés de evitar tarefas na esperança de ter mais sexo, como a pesquisa anterior implicaria, os homens provavelmente sentirão uma paixão mais frequente e satisfatória para ambos os parceiros entre os lençóis quando eles simplesmente fizerem o que lhes cabe”, acrescentou Johnson.

O estudo foi publicado online em outubro no Journal of Family Psychology.

Problemas que podem ser encontrados

Homens e mulheres que usam opioides são mais propensos a ter baixos níveis de testosterona , especialmente se forem mais velhos e tiverem certos problemas médicos, de acordo com pesquisa publicada no ano passado.

Opioides são analgésicos, como hidrocodona, oxicodona, morfina e codeína. Eles trabalham diminuindo a percepção de dor do paciente.

A testosterona é um hormônio geralmente associado aos homens, porque lhes confere suas características masculinas. Os corpos das mulheres produzem quantidades muito menores.

Os cientistas analisaram dados da Pesquisa Nacional de Exame de Saúde e Nutrição de 2011-2012, baseada nos EUA. Eles identificaram 320 homens e mulheres que usaram opioides prescritos nos últimos 30 dias e os compararam com 4.909 pessoas que não usaram opioides.

Eles descobriram que aqueles que usaram opioides tendem a ter níveis mais baixos de testosterona em comparação com aqueles que não o fizeram. Eles também descobriram que as chances de ter testosterona baixa eram maiores para os usuários de opioides acima de 70 anos e aqueles que tinham outras condições médicas, incluindo câncer, doenças cardíacas, diabetes, pressão alta e artrite.

Não ficou claro como essas descobertas afetariam as mulheres, já que seus níveis de testosterona são tipicamente mais baixos e podem ser afetados pelos hormônios e pelo ciclo menstrual.

Para os homens, parecia que os testículos produziam menos testosterona. No entanto, outros fatores, incluindo diabetes e pressão alta, também estão ligados à baixa testosterona, portanto, pesquisas futuras são necessárias para determinar quão forte é a associação com o uso de opioides.

O estudo foi publicado no último verão na revista Pain Medicine.

Posted in Saúde

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*